quarta-feira, 11 de maio de 2011

Redes etc. (conclusão)

Para concluir esta seqüência, vale salientar que deixar uma rede wireless “aberta” propicia invasões ou compartilhamentos não autorizados do serviço pelo qual você paga. Habilite o WPS – configuração segura que escolhe a melhor encriptação e gera SSID (nome da rede) e senhas aleatórias para o Wi-Fi – e/ou utilize os protocolos de segurança, firewall e controles de acesso oferecidos pelo seu equipamento. Ainda que muita gente não se dê a esse trabalho (para não ter de se preocupar com senhas ou outros tipos de autenticação), tenha em mente que quanto mais usuários compartilharem a conexão, mais lenta ela ficará. Atualmente, os principais padrões para redes wireless são o WPA e o WPA 2. O WPA sucedeu o frágil WEP, mas, diante da profusão de tutoriais para quebra desse protocolo, acabou cedendo espaço ao WPA2, bem mais seguro, mas ao qual nem todas as placas de rede e adaptadores Wi-Fi existentes no mercado oferecem suporte (antes de ativá-lo, assegure-se de que todos os componentes da sua rede operem com o dito cujo).
Demais disso, atente para a quantidade de antenas do rotador que você tem em vista: modelos 802.11n geralmente integram duas ou mais antenas, já que sua performance depende da reflexão do sinal no ambiente e da quantidade de transmissores e receptores (a configuração ideal de antenas é a 4 x 4 – um roteador com 4 antenas e cada qual com seus próprios circuitos de transmissão e recepção). Confira ainda a “potência” das antenas (expressa em dBi) – quanto maior ela for (3 dBi, por exemplo), maior será o alcance do sinal –, mas não se esqueça de que as taxas máximas de transmissão de dados e alcance (distância) do sinal informadas pelos fabricantes representam valores teóricos que se referem à transferência de arquivos. A velocidade de conexão com a Internet está sujeita a outros fatores limitantes, e áreas de sombra ou bloqueios causados por eletrodomésticos, paredes, portas, etc., podem resultar em valores bem diferentes, e muito embora alguns roteadores 802.11n oferecem mais estabilidade e alcancem distâncias e taxas de transferências maiores operando simultaneamente em 2,4 GHz e 5 GHz, seus preços costumam ser bem mais salgado.
Por último, mas nem por isso menos importante, recomendo adquirir roteadores de marcas renomadas. Fabricantes como 3Com, Cisco e Trendnet são excelentes opções, embora os produtos da D-Link sejam mais baratos e nada deixem a desejar no uso doméstico. Aliás, se você pretende compartilhar sua conexão 3G, saiba que o D-Link DI-412 (*) é compatível com todas as operadoras de telefonia móvel celular.

* Não costumo promocinar fabricantes, referenciar modelos ou informar preços do que quer que seja aqui no Blog (coisa que sempre me recusei a fazer, mesmo em meus artigos na mídia impressa, para não dar ao leitor a impressão de que a matéria era patrocinada por esta ou aquela marca). No entanto, em circunstâncias excepcionais tais informações podem ser bem-vindas. A quem interessar possa, o Blog do meu amigo Kevin oferece dicas de marcas e modelos e oferece links para cotação. A quem interessar possa, basta acessar http://updatefreud.blogspot.com/2011/05/como-escolher-o-melhor-roteador.html
Um ótimo dia a todos e até mais ler.
Postar um comentário