quinta-feira, 9 de junho de 2011

Revisitando os drivers (final)

Vimos que o processo de instalação/atualização de drivers é trabalhoso e um tanto complicado, de modo que vale a pena recorrer a programinhas que “automatizam” esse trabalho. Com eles, você não perderá tempo identificando os componentes da máquina e nem precisará visitar individualmente os sites dos fabricantes para localizar versões atualizadas dos controladores.
O ideal, no entanto, é utilizar uma ferramenta paga, pois as gratuitas deixam a instalação propriamente dita (que é justamente a parte mais delicada do processo) por conta e risco do usuário, conquanto seja inegável que elas facilitam sobremaneira o trabalho, já que realizam a checagem dos componentes e oferecem links para você baixar os drivers atualizados. Isso sem mencionar os recursos adicionais – como backup dos drivers e reversão automática das atualizações, para o caso de alguma delas dar problema – que, a meu ver, já justificam a instalação.
Para embasar esta matéria, eu testei diversos Freewares bastante populares, e todos cumpriram o que prometeram – ou seja, varreram o computador, localizaram os componentes passíveis de atualização e listaram os links respectivos para download.
Fica aqui registrado que o festejado Drive Pack Solution me desanimou pelo tamanho – 2,3 GB –, e que o Device Doctor, além de não ter concluído o download de alguns drivers, tampouco removeu da lista os componentes que conseguiu atualizar. Para completar, o driver que ele indicou para o meu mouse tornou o dispositivo inoperante, forçando-me a recorrer ao teclado para comandar a restauração do sistema – que, infelizmente, também não funcionou.
Seria interessante analisar também o comportamento das versões pagas, mas considerando a origem desses programinhas, eu acho difícil conseguir uma licença provisória para testes. Claro que existem maneiras menos ortodoxas, digamos assim, mas isso já é outra história e fica para outra vez. No final das contas, acabei elegendo o  Driver Max como meu preferido. Embora ele não seja o obelisco da simplicidade em termos de uso (o tutorial do Baixaki ajuda um pouco) e limite o download de drivers a dois por dia (na versão paga não existem restrições), faz o trabalho completo, de cabo a rabo.
Vale lembrar que muitos fabricantes eliminam de seus websites os drivers de produtos cuja produção foi descontinuada, abandonando os usuários à própria sorte. Felizmente, existem diversos sites que preenchem essa lacuna, e ainda que a maioria deles cobre pelo download, a página de drivers do Superdownloads disponibiliza os programinhas gratuitamente.
Seja como for, quem tem uma máquina antiga que pretende continuar mantendo em uso por mais algum tempo deve por as barbichas de molho e fazer um backup completo dos drivers.
Era isso, pessoal.
Abraços e até mais ler. 
Postar um comentário