domingo, 17 de junho de 2018

JORNAL DENUNCIA MORO POR EXCESSO DE EFICIÊNCIA



Pouquíssimos magistrados no mundo exibem a eficiência de Sergio Moro. O juiz da Lava-Jato trabalha em fins de semana, feriados e dias santos para manter um nível de produtividade que desmoraliza instâncias superiores, luta incansavelmente para neutralizar manobras protelatórias de advogados espertalhões, examina e julga processos com exemplar agilidade.

Pois um dos grandes jornais resolveu denunciar Sergio Moro por ausentar-se do local do emprego dois dias úteis por mês. Noticiada na primeira página, a descoberta acabou enriquecendo o currículo do juiz federal. As viagens não o impedem de acumular números que escancaram a lentidão exasperante do Supremo Tribunal Federal.

A imprensa deveria investir em investigações menos inúteis o tempo que desperdiça com a caça a irregularidades inexistentes envolvendo defensores da lei. Que tal, por exemplo, descobrir quantos dias Lula ficou longe do Planalto nos oito anos em que foi presidente? Também seria interessante contar aos leitores o que faz Dilma para ganhar a vida ─ além de sair por aí não dizendo coisa com coisa em distintos idiomas. Assunto não falta. Faltam critério, juízo e competência.

Publicado originalmente no blog de AUGUSTO NUNES

Enquanto isso, deu n’ O ANTAGONISTA:

Itamar de Oliveira, ex-integrante da equipe de segurança de Lula, disse que ia de três a quatro vezes por semana ao sítio de Atibaia, entre 2010 e 2011, para cumprir ordens de Marisa Letícia. Ele ia ao sítio juntamente com Rogério Aurélio Pimentel, assessor de Lula. Marisa se inteirava, através de Rogério, das obras então em curso na propriedade — obras sob o comando da ex-primeira-dama. E depois a petralhada diz que o sítio de Lula não era de Lula.

E no ESTADÃO:

Tucanos vão procurar FHC para convencê-lo a apoiar publicamente o nome de Nelson Jobim, do MDB, para a presidência da República. E que, “se FHC topar, quem está agindo nos bastidores promete sair da sombra e defender publicamente a substituição de Geraldo Alckmin por Jobim”.

Apresentar Jobim como “um nome de centro” não passa de um golpe para tentar livrar a cara de todos os políticos enrolados na Lava-Jato. Do PT ao PSDB, passando por PP e, claro, pelo MDB. Jobim não é nome de centro coisíssima nenhuma. É o nome do acordão entre Judiciário, Legislativo e Executivo, para “pôr em seu devido lugar” os juízes e procuradores que já levaram ou estão para levar corruptos para a cadeia. Ele já trabalha ativamente em Brasília e alhures. E FHC não precisa ser “procurado”. Ele participa ativamente da jogada do “polo democrático e reformista”.

Mudando de pato pra ganso, o ministro Edson Fachin decidiu submeter à 2ª Turma do STF o novo pedido da defesa do criminoso de Garanhuns para que ele deixe a prisão até que os recursos contra sua condenação na Lava-Jato sejam julgados. Espera-se que o julgamento ocorra no próximo dia 26, a critério do presidente da Turma (Lewandowski), “diante dos afazeres daquele colegiado” — que já havia negado por unanimidade, no mês passado, outro pedido de Lula para deixar a prisão. 

Um pedido semelhante, feito pelos advogados do petralha ao STJ, foi negado na última terça-feira pelo ministro Felix Fisher, relator da Lava-Jato naquele Tribunal. Vale lembrar que a defesa do molusco ingressou com recurso especial no STJ e extraordinário no STF, mas a presidência do TRF-4 ainda não julgou a admissibilidade dos apelos. Haja coração!

Visite minhas comunidades na Rede .Link:
Postar um comentário