segunda-feira, 25 de junho de 2018

NÃO FAÇA DO SEU COMPUTADOR UMA CARROÇA ― PARTE FINAL


SOMENTE OS EXTREMAMENTE SÁBIOS E OS EXTREMAMENTE ESTÚPIDOS É QUE NÃO MUDAM.

Antes de passarmos à correção de erros e desfragmentação dos arquivos, um alerta: se seu PC conta com um SSD, você pode pular esta etapa. Como não há pratos magnéticos formatados em trilhas, setores e cilindros para armazenar os arquivos ― nos drives de estado sólido, a gravação/leitura é feita mais ou menos como na memória RAM ―, a fragmentação não chega a ser um problema. Tecnicamente, é possível desfragmentá-los, mas os fabricantes não recomendam, pois, além de não melhorar o desempenho do drive, ela compromete a vida útil do dispositivo. Isso porque a desfragmentação consiste numa longa sequência de leituras e regravações, e o número de vezes que as células de memória flash podem ser regravadas é limitado. Feita essa ressalva, passemos ao que interessa, mas não sem antes lembrar (mais uma vez) que os procedimentos a seguir podem ser feitos mais facilmente ― e com resultados superiores ― com o auxílio de suítes de manutenção dedicadas, como o Advanced System Care.

― Ainda na pasta Este Computador (vimos na postagem anterior como chegar até ela), clique com o botão direito no ícone que representa sua unidade de sistema (geralmente C:) e selecione a aba Ferramentas.

― No campo Verificação de Erros, clique em Verificar Agora, assinale as duas caixas de verificação e reinicie o computador (essa providência é necessária para que o utilitário tenha acesso aos arquivos de sistema que o Windows bloqueia quando está carregado).

Vá tomar um café, almoçar ou cuidar de outro assunto qualquer, pois, dependendo do tamanho da unidade e dos recursos do computador, a coisa pode demorar de muitos minutos a algumas horas.

― Concluída a verificação e corrigidos eventuais erros no disco, volte à janelinha das Propriedades da Unidade C: e, em Desfragmentar e otimizar unidade, clique no botão Otimizar.

― Na tela que será exibida em seguida, selecione a unidade desejada e clique em Analisar. Se o índice de fragmentação for superior a 3%, clique em Otimizar e siga as instruções na tela.

Também neste caso a conclusão do processo pode demorar um bocado, de acordo com o tamanho do drive e o percentual de fragmentação dos arquivos. Embora seja possível continuar usando o computador durante a desfragmentação, eu não recomendo, já que a máquina fica lenta e eventuais alterações no conteúdo do disco retardarão ainda mais o processo. Portanto, deixe para desfragmentar seu HDD quando não precisar usar o computador por algumas horas.

Para concluir esta novela

Tenha em mente que os procedimentos sugeridos nesta sequência não operam milagres. Para resgatar o desempenho inicial do computador, somente reinstalando o Windows a partir do zero (é isso é justamente o que estamos querendo evitar ou, pelo menos, protelar). Agora, se você está rodando o Windows 10 com 4 GB de RAM (configuração comum em PCs de entrada de linha atuais), considere a possibilidade de aumentar a memória para, pelo menos, 8 GB. O benefício certamente compensará o custo.

Outro upgrade recomendável é a troca do HDD por um SSD. O grande senão é o preço, já modelos com fartura de espaço ainda custam caro. Nos desktops, sempre se pode acrescentar um SSD de capacidade mediana e preço mais palatável (240 GB, por exemplo), e instalar nele o sistema e os aplicativos que você mais usa. Já em notebooks essa possibilidade é bastante remota, a menos que você tenha (e esteja disposto a sacrificar) um leitor/gravador de mídia óptica. Mesmo assim, pode ser que o espaço não seja suficiente ou adequado, sem falar que o custo da mão de obra especializada pode tornar o molho mais caro que o peixe. Se sua máquina já tem alguns anos de estrada e você já vem pensando em substituí-la, considere a compra de um modelo que integre um drive de estado sólido.

Boa sorte.

Visite minhas comunidades na Rede .Link:
Postar um comentário