terça-feira, 7 de janeiro de 2014

ANO NOVO, ANTIVÍRUS NOVO...

O PODER SÓ É PREJUDICIAL PARA QUEM NÃO O POSSUI!

Boa parte da eficácia de um antivírus depende de seu banco de dados estar up-to-date. Nas versões comerciais, é preciso renovar a licença para continuar recebendo atualizações, mas em sendo possível, o melhor é fazer um upgrade (os fabricantes costumam lançar novas edições todo final de ano).
Caso você não esteja satisfeito com seu antivírus, esse é o momento de substituí-lo – fazê-lo depois de renovar a licença é jogar dinheiro fora. Por desencargo de consciência, todavia, não custa criar um "falso vírus" e ver como a ferramenta se comporta.
Para tanto, dê um clique direito num ponto vazio da Área de Trabalho, selecione Novo, clique em Documento de Texto, abra o arquivo, cole o código a seguir, salve o arquivo na própria Área de Trabalho (o nome não importa).

X5O!P%@AP[4\PZX54(P^)7CC)7}$EICAR-STANDARD-ANTIVIRUS-TEST-FILE!$H+H* 

No mais das vezes, o antivírus impede o salvamento e exibe uma mensagem dando conta da infecção; se isso não acontecer, dê um clique com o botão direito sobre o arquivo e comande a verificação manualmente. Se ainda assim seu antivírus se fingir de morto, troque-o com a possível urgência.
Amanhã a gente revisita a memória virtual, desta feita visando mostrar como desabilitá-la no Seven. Depois de amanhã a gente volta para comentar algumas opções de antivírus, pagas e gratuitas, com ou sem proteção em tempo real.
Abraços e até lá.
Postar um comentário