quinta-feira, 25 de outubro de 2012

CELULARES, SMARTPHONES E NOTEBOOKS - AUTONOMIA DA BATERIA


A profusão dos recursos disponibilizados por smartphones e celulares de última geração demanda cada vez mais energia, mas a autonomia das baterias não vem evoluindo com a mesma rapidez. Por conta disso, para não ficar sem carga antes do final do dia, ou você procede a algumas reconfigurações (para mais detalhes, clique aqui), ou leva leva consigo o carregador ou uma bateria sobressalente.

OBSERVAÇÃO: A título de contraponto, o LG Tri Chip A290 que eu venho utilizando há mais de 20 dias, inclusive para chamadas de longa duração (situação em que o consumo de energia é bem maior do que em stand-by) continua exibindo duas das três barrinhas indicativas do status da bateria, o que é espantoso!

Vale lembrar que, ao contrário das baterias de níquel-cádmio, as de íons de lítio (utilizadas atualmente) não estão sujeitas ao efeito memória, e podem ser recarregadas a qualquer momento, a critério do usuário – o que vale também para laptops, conquanto alguns fabricantes recomendem esgotar toda a energia, de tempos em tempos, antes de proceder à recarga.
Convém ter em mente que a autonomia informada nas especificações dos aparelhos é baseada em situações “ideais”  que você dificilmente irá reproduzir no seu dia-a-dia. É raro um notebook funcionar a pleno vapor por mais de três horas longe de uma tomada, embora seja possível espremer mais algumas gotas de autonomia através de alguns ajustes disponibilizados pelo próprio aparelho (consulte o manual) ou através do próprio Windows  para conferir ou modificar as configurações do seu computador, acesse o Painel de Controle e, em Hardware e Sons, clique em Opções de Energia.

OBSERVAÇÃO: O esquema recomendável é o Equilibrado, mas você pode privilegiar a performance escolhendo Alto desempenho (ideal para portáteis que operem conectados á tomada durante a maior parte do tempo) ou aumentar a autonomia selecionando Economia de energia (clique no link Alterar configuração do plano para implementar ajustes personalizados). 

O Windows 7 conta ainda com uma ferramenta que monitora o sistema por um período pré-definido, aponta erros, oferece sugestões para economizar energia e apresenta uma estimativa da vida útil do componente. Para acessá-la, digite cmd na caixa de pesquisa do menu Iniciar, clique com o botão direito sobre o ícone respectivo, escolha a opção Executar como administrador e, na linha de comando, digite powercfg –energy. Ao final, tecle exit para fechar a janela, localize o arquivo energy-report.html (em C:\Windows\System32), abra-o no seu navegador e analise as informações fornecidas. Os valores de DESIGN CAPACITY e LAST FULL CHARGE, bem no finalzinho do arquivo, remetem à capacidade de armazenamento da bateria; quando maior for a diferença entre eles, menor será a eficiência do dispositivo.
Por último, mas não menos importante, manter a bateria em seu compartimento quando o note estiver sendo utilizado conectado à tomada faz com que ela permaneça carregada e pronta para qualquer eventualidade, além de funcionar como no-break (evitando os tradicionais dissabores decorrentes de um apagão na rede elétrica). Há quem diga que essa prática reduz a vida útil da bateria, mas, convenhamos: devido à rapidez com que a evolução tecnológica substitui produtos de ponta por outros ainda mais avançados, quando sua bateria começar a dar sinais de "cansaço", já estará mais do que na hora de você trocar seu note velho de guerra por um modelo novinho em folha.


Curiosidade: Há quase duas décadas que as URNAS ELETRÔNICAS aposentaram a cédula de papel e trouxeram maior agilidade na apuração dos resultados. No entanto, segundo Diego Aranha, doutor em computação pela Unicamp e professor da Universidade de Brasília, algoritmos obsoletos, falta de segurança no desenvolvimento dos softwares e no sigilo dos votos, falhas no controle das urnas extras e possibilidade de acesso não autorizado de funcionários do TSE e fiscais dos partidos ao sistema tornam o processo bem menos seguro do que se costuma imaginar.   

Abraços e até mais ler.
Postar um comentário