terça-feira, 16 de abril de 2013

AINDA O BACKUP...


Quem tem dois tem um; que tem um...

Ansioso para compartilhar com a galera as fotos que tirou durante as férias, você ignora o temporal que se avizinha e transfere para o PC o conteúdo da sua câmera digital. Quando o processo termina, já chove a cântaros, mas você reluta em desligar o aparelho, pois ainda quer dar uma olhadinha nos emails que recebeu enquanto esteve ausente. Então, um relâmpago derruba a rede elétrica e torra a placa lógica do seu disco rígido – coisa que você somente descobrirá na manha seguinte, quando tentar religar o computador.
Resultado: além das benditas fotos que causaram todo esse imbróglio, seu sistema, aplicativos e demais arquivos pessoais foram para o espaço.

Calma, foi só um pesadelo: seu avião acabou de pousar, suas fotos continuam seguras na memória da câmera e seu PC está em casa, desligado da tomada – e assim deverá permanecer até a manhã seguinte, já que, ao descer do táxi, você vê nuvens plúmbeas prenunciando um temporal daqueles, e se lembra que há tempos não faz backup dos seus arquivos.

O exemplo acima não deixa dúvidas quanto à importância de manter backups atualizados dos seus arquivos pessoais e/ou de difícil recuperação. Assim, se algum malware destrutivo ou qualquer outro acidente de percurso exigir a reinstalação do sistema, será fácil recuperar suas fotos, filmes, documentos, emails e o que mais você tiver incluído nas cópias de segurança.
O Seven permite configurar backups automáticos ou criá-los manualmente. Por padrão, o Assistente estabelece à data, o horário, a frequência, a opção de armazenamento e o conteúdo a ser protegido, mas você redefinir esses parâmetros abrindo o Painel de Controle e clicando em Sistema e Segurança/Backup e Restauração. Note, porém, que a automatização do processo exige que o computador esteja ligado na data e hora programadas, e que haja um disco na gavetinha ou um pendrive ou HD USB conectado ao PC e configurado como unidade de destino.
Já para criar um backup manual:
  1. Clique em Iniciar/Painel de Controle/Sistema e Segurança/Backup e Restauração, insira um disco virgem na gavetinha e clique em Fazer backup agora.
  2. Em Alterar configurações, defina seu gravador de DVD (caso ele não apareça selecionado por padrão), marque a opção Deixar o Windows escolher (recomendado), avance e aguarde a mensagem de que o processo foi concluído com êxito (deixe diversas mídias virgens à mão; dependendo do volume de dados, o assistente poderá solicitá-las).
Observação: O procedimento é o mesmo com as demais opções de armazenamento; o que muda é a unidade que deverá ser indicada no passo nº 2. 

Caso precise restaurar um backup:
  1. Clique em Iniciar/Painel de Controle/Sistema e Segurança/Backup e Restauração/Selecionar outro backup de onde os arquivos serão restaurados.
  2. Na lista que será exibida, selecione o backup desejado e clique em Avançar (caso a opção em questão na apareça, assegure-se de que o dispositivo respectivo esteja conectado ao computador e clique em Atualizar).
Note que:

Se você não se der bem com o utilitário nativo do Windows, poderá criar seus backups replicando os itens desejados com os comandos COPIAR/COLAR (ou os atalhos CTRL+C/CTRL+V), mas não deixe de experimentar programinhas de terceiros como os que eu sugeri no post da última quarta-feira.
  • O utilitário nativo do Seven permite escolher pessoalmente o conteúdo a ser protegido ou deixar que o Assistente o faça. Neste caso, serão copiados os arquivos de dados salvos nas bibliotecas, área de trabalho e pastas padrão do Windows (dados de aplicativos, contatos, Área de trabalho, downloads, favoritos, links, jogos salvos e pesquisas) de todas as contas de usuário existentes no computador. Os arquivos do sistema e de programas ficarão de fora, pois recuperar o sistema não faz parte integrante dos propósitos do backup; caso sua ideia seja minimizar a trabalheira decorrente de uma eventual reinstalação do Windows, crie um disco de imagem (para saber mais, clique aqui).
  • Por motivos óbvios, o utilitário nativo do Seven não armazena backups na mesma unidade em que o Windows se encontra instalado. Se você não tiver particionado seu HD e não dispuser de um segundo disco, recorra a HDs externos USB, pendrives, DVDs, CDs, etc. Como medida de extrema cautela, salve uma cópia no SKYDRIVE, por exemplo, que conta com segurança de alto nível (criptografia, redundância, etc.), permite uploads de até 100 MB de cada vez e oferece 7 GB de espaço gratuito (se isso não for suficiente para você, basta pagar uma taxa anual de U$10 para adicionar 20 GB)
Observação: Um HD dividido em duas ou mais partições permite manter os backups separados dos arquivos do sistema e dos aplicativos, de maneira a preservá-los de uma eventual reformatação da unidade C: – embora não os isente de um problema físico como o do exemplo que eu usei para abrir esta postagem. A quem interessar possa, o freeware SwissKnife permite criar, modificar, formatar e apagar partições mais fácil e rapidamente do que as ferramentas nativas do Windows (clique aqui para fazer o download e acessar uma sinopse em português das informações oferecidas no site do fabricante).

Por último, mas não menos importante, vale lembrar que convém fazer backup também dos drivers. Para saber mais sobre esses importantes programinhas de baixo nível que servem como ponte entre o hardware e o sistema operacional, reveja a sequência de (4) postagens que eu publiquei em 2011, mas que continua atual (clique aqui para acessar o primeiro post).

Abraços a todos e até mais ler.
Postar um comentário